A+ A A-

Open Source

Os defensores do movimento Open Source sustentam não se trata de algo anarquista anti-capitalismo, mas de uma alternativa ao modelo de negócio para a indústria de software. Esta alternativa não gira em torno de regras econômicas ortodoxas, mas vai além e questiona princípios, inclusive dos modelos econômicos ortodoxos aplicados à esfera virtual. Além de questionar esses princípios econômicos o modelo colaborativo de produção intelectual oferece um novo paradigma para o direito autoral. Algumas empresas comerciais como IBM, HP, Intel, Dell, entre outras, também têm investido no software de código aberto, juntando seus esforços para a criação do Open Source Development Lab ( OSDL ), instituição destinada à criação de tecnologias de código aberto.

A grande força do software livre está no potencial de cooperação para depuração coletiva, capaz de neutralizar pressões mercadológicas e políticas e melhor dominar complexidades.

Os detratores do movimento, contudo, alegam que esse movimento é, na verdade, um desestímulo para o desenvolvimento de novas tecnologias, por não levar em conta a propriedade intelectual do criador.

É um dos exemplos mais famoso de software Open Source. Este sistema operacional vem sendo desenvolvido e aprimorado desde 1991, quando Linus Torvalds liberou seu código na Internet e licenciou-o sob a GPL. Atualmente o Linux já está na sua versão 2.6 e apresenta cerca de 450 distribuições diferentes. Todos estes desenvolvimentos foram possíveis graças à listas de discussões e espaços colaborativos.

(Wikipedia)

Mas o Open Source (GPL) não está ligado somente ao Linux. O Windows tem vários seguidores desta filosofia, que desenvolvem a cada dia soluções livres para esta plataforma.

Ver lista de softwares livres (for windows) no link abaixo:http://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_softwares_open_source_para_Windows

Link para visualizar o documento integral traduzido.
http://www.magnux.org/doc/GPL-pt_BR.txt